Dever não cumprido


O Santo André vai permanecer na Série C em 2012. O Brasil-RS perdeu seis pontos por escalar, de maneira irregular, o jogador Cláudio, e foi rebaixado para a Série D. A decisão é irreversível.
O julgamento foi ontem. É inegável a sensação de alívio, mas não há absolutamente NADA a comemorar no ano do Santo André. O time acumula três rebaixamentos em 22 meses e só não vai acumular o quarto por uma decisão da justiça desportiva. Seria um recorde negativo, que consolidaria a atual diretoria do Santo André como uma das piores da história do futebol brasileiro.
Mais deprimente que o momento do clube, no entanto, é a absoluta falta de perspectiva de melhora. Não houve nenhum mérito do clube no fato do clube não cair para a Série D. Em campo o time foi completamente indigno das tradições do Santo André. E fora dele a diretoria atual segue sendo um câncer, dando um show de incompetência e afastando todas as pessoas que querem o bem do E. C. Santo André.
Além disso, a prefeitura faz pouco caso com o Estádio Bruno José Daniel, que vive o pior momento de sua história. A torcida se afasta progressivamente, porque o time não representa mais a cidade. Até pouco tempo o Santo André era motivo de orgulho municipal. Agora, na mão de um grupo de intenções inexplicáveis, é motivo de vergonha.
Nem a ação que resultou na perda de pontos do Brasil de Pelotas foi impetrada pelo Santo André. Foi impetrada pelo Joinville, em segunda instância. A fase é tão ruim que a primeira instância, impetrada pela diretoria do Santo André, resultou no absolvimento do Brasil de Pelotas. Outra mostra da incompetência absoluta de nosso Departamento Jurídico foi a perda de quatro mandos de jogo do Santo André por uma briga envolvendo jogadores do clube e a torcida, após a partida contra o Joinville.
Está tudo errado. Esse alívio ocasionado pelo não-rebaixamento deve servir para o clube se reestruturar completamente. Trocar a diretoria, começar a mudar o modelo de investimento, revalorizar as categorias de base. Mas nada disso vai acontecer.  
O técnico Rotta fala em “sensação de dever cumprido”. O presidente Ronan já planeja mais um time medíocre para 2012. E a torcida, cada vez mais impaciente, é jogada às traças, como se o torcedor fosse o responsável pelo mau momento do clube, e não a diretoria.
O dever não foi cumprido. O pior não foi evitado, só adiado. Se a diretoria atual e a filosofia atual permanecerem, até na A-2 do Paulista seremos candidatos ao rebaixamento.
Anúncios
Esse post foi publicado em Esportes. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Dever não cumprido

  1. Pingback: Textos e Estatísticas de 2011 | Blog do Léo Rossatto

  2. Bruno disse:

    O Marilia acumula o 5º rebaixamento consecutivo. Até nisso o Santo André tá perdendo!

Dê a sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s