Arrependimentos


Eu sou um ser humano caótico, sob todos os aspectos. Peco pela falta de constância, pela euforia que precede a tristeza e vice-versa. E tenho muitas ideias aparentemente contraditórias, mas que se encaixam perfeitamente nesse grande Lego que é meu cérebro.

Eu acredito profundamente em Deus, em Cristo, no que a Bíblia fala e tal. Isso, por si só, já parece contraditório. COMO ASSIM um sujeito formado em Ciências Sociais, que sabe que “a religião é o ópio do povo”, que já leu Freud, Nietzsche, Marx e cia vai acreditar em Deus? Eu acredito, e nada parece contraditório pra mim, porque Jesus Cristo foi o maior HUMANISTA que já passou pelo mundo, ninguém amou a humanidade mais do que Ele.

Na vida criamos pequenos estereótipos: “sou roqueiro”, “sou religioso”, “sou bonito”, “sou feio”. Mas nada disso te define de verdade. O que te define per si é o seu caráter, o “pacote de coisas” em que você acredita. E uma das principais coisas que fazem parte desses pacotes são nossos arrependimentos.

Arrependimentos são realmente doloridos, pois na maioria das vezes referem-se a situações sem solução. E nesse tempo todo de vida cheguei à conclusão de que os maiores arrependimentos são sempre daquilo que você NÃO FEZ. Sim, as oportunidades perdidas que não voltam mais, os momentos que você desperdiçou por pura falta de timing, tudo isso. Engraçado que isso parece ser outra contradição no meu modus vivendi, tendo em vista que o cristianismo manda nos arrependermos de nossos pecados e tal. Mas não é.

Cada vez que deixamos de fazer algo desperdiçamos esse dom maravilhoso que Deus nos deu: a vida. Os arrependimentos e as atitudes que tomamos (ou não) devem estar subordinadas à integridade de nosso caráter. Confiando em nosso caráter e naquilo em que acreditamos, não existe motivo para deixar de fazer o que está em seu coração. Para seguir seu caminho, para fazer seu próprio caminho, para montar, peça a peça, o Lego da sua história.

Arrepender-se do que você não fez dá uma nova dinâmica à sua existência. Devemos viver cada dia não como o último, mas como o melhor deles. Fazendo coisas relevantes, sendo importantes e amáveis para com os outros, criando nosso caminho de acordo com nosso coração.

Quando você se arrepende do que fez, normalmente é possível pedir desculpas. Quando se arrepende do que não fez, não há mais volta. A oportunidade já está perdida.

A vida é curta demais para nos preocuparmos com nada que não seja tornar a vida de todos ao nosso redor melhor. Esqueça mágoas, tristezas, fofocas, e ignore o mal que as pessoas fazem para você. Faça o bem cego, sem distinção. Somos todos iguais nesse mundo, todos iguais perante Deus, e nada fará uma pessoa merecer mais seu sorriso do que outra.

Na dúvida, faça todos sorrirem.

Um forte abraço em todos vocês. Contem comigo para o que for possível e necessário.

Anúncios
Esse post foi publicado em . Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Arrependimentos

  1. Pingback: Textos e Estatísticas de 2011 | Blog do Léo Rossatto

Dê a sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s