Indiferença


“O oposto do amor não é o ódio, é a indiferença.” Érico Veríssimo.

A verdade é uma só. Estamos vivendo uma era de indiferença. Uma era em que as pessoas só pensam em si mesmas (leia também: https://poucodeprosa.wordpress.com/2011/11/29/o-individualismo-e-a-sociedade/) e se isolam da sociedade, muitas vezes motivadas pelo medo (ah, leiam também: https://poucodeprosa.wordpress.com/2011/11/28/o-medo/).

Quando somos indiferentes a tudo e nada mais nos impressiona, é sinal de que não há mais esperança. Usando um termo bíblico, estamos em uma era do “esfriamento do amor” das pessoas. Uma era em que as pessoas querem ser diferentes, mas não querem fazer a diferença no mundo.

A indiferença sugere estagnação. Sugere imobilismo. Sugere que não existe mais nenhuma maneira de mudar situações que não nos agradam. Sugere que nossa vista está embaçada para tudo o que ocorre ao nosso redor, em um sentimento de apatia similar ao que ocorre quando estamos deprimidos.

A única forma que existe de fazermos a diferença no mundo é através do amor. O amor move o coração do homem contra o individualismo, fazendo com que sintamos o desejo sincero de tornar a vida dos outros melhor.

Cada um encontra sua forma de não fazer esse amor “esfriar”, não se tornar apático e indiferente. Eu acredito profundamente que Deus pode proporcionar esse amor, na história bíblica da salvação nos ensinamentos de amar a Deus e amar ao próximo de Jesus Cristo. E deixo claro que isso uma posição pessoal.

Mas nem de longe é uma imposição. Pelo contrário. Amar aos outros implica em um respeito profundo ao que os outros acreditam. Amar ao outro implica em respeitar o princípio da alteridade. Ou seja: significa se colocar no lugar do outro e entender que, se a pessoa acredita em algo, ela o faz sinceramente. Ela tem motivos para aquilo. Ela tem toda uma história de vida pregressa que a levou a acreditar naquilo.

A amor pressupõe respeito profundo à liberdade das pessoas em acreditarem em coisas diferentes do que você acredita. O amor implica em diversidade, e em não associar as pessoas aos seus atos, sejam eles bons ou ruins. Elas merecem seu amor independente do que façam. Se você manifestar amor independente das atitudes das pessoas, servirá de exemplo, e incentivará as pessoas a fazerem o mesmo.

Então, não se deixe levar pela indiferença. O antídoto para a indiferença é o amor, o não querer nada em troca, o cuidado, a preocupação sincera com as pessoas. Com cada um. Com quem estiver do seu lado agora. Uma boa palavra, dita de forma sincera, nunca fará mal a ninguém.

Anúncios
Esse post foi publicado em , Pitacos. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Indiferença

  1. Pingback: Textos e Estatísticas de 2011 | Blog do Léo Rossatto

Dê a sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s