O encontro


É impressionante como às vezes a vida cansa rápido.

Havia um rapaz de quem todos esperavam muito. Era uma criança prodígio, orgulho dos pais. O problema de ser uma criança prodígio é justamente o fato de que, depois da infância, as pessoas sempre vão esperar de você muito mais do que esperariam de alguém normal. E foi assim.

Até um determinado momento, esse rapaz soube lidar com a pressão, fazendo o que se esperava dele. No entanto, remediava sua própria frustração com algumas válvulas de escape. Diante da aparência do sucesso, seu interior era cheio de dilemas e frustrações.

O rapaz cresceu, se divertiu, sorriu e chorou bastante. Viveu muitas histórias, que vai poder contar depois (ou não). Mas, com o tempo, a situação foi se agravando, e esse sujeito começou a não se suportar mais. Refugou. Se autodestruiu. Não se importava mais com o futuro, e tinha vergonha do que tinha se tornado. Os bons valores aprendidos durante a infância e a adolescência pareciam não servir pra nada.

Esse rapaz conheceu uma moça. Tornaram-se amigos, ele passou muito tempo naquele local obscuro da vida de uma mulher chamado friendzone. E, de fato, ele não tinha nenhuma intenção de sair dali. Ele não amava a si próprio. Para ele, era impossível amar alguém.

Aos poucos, alguma coisa foi mudando. Não houve um encontro, ninguém sabe como aconteceu, mas começou a surgir uma cumplicidade, um companheirismo, uma vontade de ficar junto com essa garota. Ela foi quebrando aos poucos todas as barreiras que ele tinha colocado como um peso sobre si. Com paciência, como água batendo na pedra. E, quando ele viu, já estava desprotegido e sem guarda. E ela também, sem perceber.

Eles começaram a se olhar com outros olhos. Ficaram juntos, tiveram altos e baixos, brigaram, fizeram as pazes, erraram e acertaram. E já estão há cinco anos juntos. Se apoiando, lutando juntos no mar bravio da vida. Fazem planos, querem passar a vida toda juntos. E hoje são pessoas muito melhores do que quando se conheceram.

O rapaz sou eu. A garota é a minha noiva, a Kelly. E esse texto é a minha forma de dizer pra ela o quanto eu a amo e o quanto eu sou grato a Deus por ter colocado ela na minha vida, e por termos começado a nossa história juntos, há cinco anos atrás. Amo você.

Anúncios
Esse post foi publicado em Aleatoriedades. Bookmark o link permanente.

6 respostas para O encontro

  1. João Zampronio disse:

    Até o ultimo paragrafo vi um retrato da minha vida. Muito bom seu blog, parabens.

  2. Ana disse:

    Gostei de ler sua história. Foi muito bom vc ter escrito isso.

  3. Parabéns Léo, quero ler outro post desses daqui 50 anos =) Felicidades cara, vc merece.

  4. achrispin disse:

    Fodaço!

Dê a sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s