Kyiv – Urban Reclaiming the Shore


Contexto

Kyiv é uma cidade que, por muito tempo, na história, foi considerada a “capital da Europa central”. A cidade conta com mais de mil e quinhentos anos de história, sendo a capital de um dos principais reinos europeus entre os séculos IX e XIII, o Principado de Kyiv. Depois, foi dominada por lituanos, poloneses e russos, até a independência da moderna Ucrânia, em 24 de agosto de 1991. A cidade é uma das mais importantes da Europa Oriental atualmente, com mais de 3 milhões de habitantes.

A cidade de Kyiv passou por um intenso processo de crescimento populacional a partir dos anos 70. Tal crescimento foi proporcionado pelo progressivo processo de urbanização na Ucrânia soviética, intensificado pela alocação das famílias que fugiram do desastre nuclear de Chernobyl, em 1986. Tal crescimento, não planejado, trouxe consequências negativas para o espaço urbano de Kyiv, devido à falta de planejamento urbano, que criou um cenário de degradação na cidade, principalmente na região central.

Na cidade, estruturas modernas seguem convivendo com estruturas históricas, em um paradigma comum às grandes cidades da Europa. A opção, claramente, está mais na criação de novas paisagens urbanas, revertendo a degradação do cenário urbano local, do que na preservação das paisagens originais, atreladas á história da cidade.

O processo de crescimento populacional acompanhado de degradação urbana continuou em Kyiv nos anos 90. Contribuiu, para agravar o quadro de degradação da cidade, o fenômeno de empobrecimento da Ucrânia nos anos 90. O PIB ucraniano de 2000 era equivalente a 40% do PIB ucraniano de 1991.

O Processo de revitalização e modernização da cidade

A partir do ano 2000, com a retomada do crescimento econômico ucraniano, Kyiv começou a estudar propostas de revitalização e modernização urbana. Foi definido que um novo distrito financeiro, em uma área de 3 hectares as margens do Rio Dniepr, terá arranha-céus de 350 metros de altura, custará mais de 3 bilhões de dólares e será terminado em 2020. Tal distrito representará o novo cartão-postal de Kiev, com edifícios com mais de 100 andares, imensos shoppings e edifícios corporativos, seguindo o padrão de “torres-espetáculo” isoladas das áreas históricas do município, como ocorre com Dubai e com o bairro do Pudong, em Shangai.

Como catalisador dos projetos urbanos ucranianos, surgiu a oportunidade de sediar a Eurocopa-2012. O governo local viu na sede da competição uma oportunidade única de revitalizar o degradado centro de Kyiv, na margem esquerda do Rio Dnieper, que abrange o Valery Lobanovsky Stadium (estádio do Dynamo Kyiv, utilizado para o treinamento e o alojamento de seleções), a construção de uma Vila Olímpica em parceria com a iniciativa privada, ao custo de 300 milhões de euros, visando a candidatura de Kyiv à sede dos jogos Olímpicos em um futuro próximo, e o estádio Olímpico de Kyiv, palco da final da Eurocopa.

Sendo assim, o governo abriu uma concorrência entre escritórios de arquitetura do mundo todo para definir o projeto executado entre 2011 e 2012 para revitalização do centro da cidade, com vistas ao recebimento de turistas durante a Eurocopa.

O Concurso

Mapa da região central de Kyiv, alvo do concurso para revitalização urbana

No contexto da Eurocopa-2012, Kyiv organizou um Concurso Internacional de Paisagismo Urbano da parte central da cidade, que contempla, além da Eurocopa, o planejamento urbano de Kyiv para a próxima década, com o objetivo de adaptar a cidade como cenário tipicamente europeu.

A realização do projeto paisagístico urbano para o centro de Kiev, no âmbito da preparação para o Euro-2012, tem como objetivo solucionar alguns problemas cruciais do centro da cidade, tais como:

– Otimização da rede de transportes públicos;

– Ampliação e estruturação dos espaços públicos existentes;

– Modificação do zoneamento da cidade, para adaptá-lo, de acordo com seu uso atual (entretenimento, lazer, esportes, instalações comerciais e prioridade na acessibilidade);

– Estabelecimento de normas relativas à publicidade, design e projetos arquitetônicos, com vistas a solucionar o problema da poluição visual no centro de Kyiv e utilizar da melhor forma possível o espaço urbano;

– Expansão de áreas verdes da cidade, integradas às vázeas do Rio Dnieper;

– Melhorias na iluminação da região central da cidade;

– Instalação da quantidade necessária de banheiros públicos e de outros itens que tragam conforto aos visitantes que chegam a Kyiv.

O projeto também serve como a afirmação das orientações estratégicas do desenvolvimento centro da cidade no médio e longo prazo, com o aproveitamento do centro de Kyiv ao cenário europeu na próxima década, paralelamente á criação de um novo espaço financeiro/comercial que tem como objetivo desafogar o centro da cidade.

Outro objetivo, com o projeto de concorrência, foi integrar o desenvolvimento urbano da cidade em grandes documentos legais que regulem o desenvolvimento urbano e o uso do território na área, em consonância com o plano global de Kiev para 2025, que ainda está em desenvolvimento.

O objetivo é aproveitar o bom momento econômico ucraniano e consolidar Kyiv como uma capital europeia, moderna, e que atraia turistas e investidores a médio e longo prazo. Com isso foi aberto o concurso, realizado no início de 2011.

Com a definição de Kyiv como sede da Eurocopa 2012, a cidade preparou um projeto urbanístico visando reformular o centro da cidade, com vistas ao evento e à integração de Kyiv ao cenário europeu.

Os principais objetivos da competição são:

– Destacar a importância da área em questão e reconhecer seus recursos;

– Chamar a atenção de profissionais e públicos em geral para a degradação da paisagem urbana na parte central da cidade;

– Sugerir soluções eficazes para este problema, fazendo bom uso da experiência européia, e adotar uma atitude responsável para com a cidade e a natureza de Kyiv, com as perspectivas de uma futura integração européia;

– Criar um precedente de um projeto com base na concorrência, o que é novo para Kyiv;

– Assegurar um elevado nível profissional dos seus resultados por meio de envolver notáveis especialistas ucranianos e estrangeiros, como participantes e membros do júri;

– Proporcionar condições para a realização do projeto vencedor.

Estádio Olímpico de Kyiv

Etapas do Projeto

2011/2012 – Eurocopa

Entre 2011 e 2012, Kyiv sofrerá intervenções mais pontuais, visando a adaptação da cidade para sediar a Eurocopa, com obras pontuais que visam a revitalização urbana, a criação de um eixo de desenvolvimento às margens do Rio Dnieper e o conforto dos turistas que visitarão a cidade durante o evento.

A noção é a de que o investimento na paisagem da cidade deve ser planejado, indo além da Eurocopa. Há a noção de que as obras não devem durar mais de um ano, uma vez que o cronograma do concurso definiu o melhor projeto no final de abril de 2011, definiu a política de intervenção urbana juntamente com a prefeitura de Kyiv entre maio e junho de 2011 e começou, efetivamente, a executar as obras para o evento no início de julho de 2011.

Para o concurso, respeitou-se, também, o relevo da cidade, repleto de colinas às margens do Rio Dnieper. O objetivo é o aproveitamento máximo dessas colinas para a integração atual e futura entre a cidade e o rio que a divide.

Obras da primeira fase:

– A criação de uma passarela unindo a colina Volodymyr e o People Friendship Arch;

– A criação de zonas exclusivas para pedestres na European Square e na Poshtova Square com um acesso confortável ao Rio Dnieper (inclusive para deficientes físicos);

– A implementação da primeira fase das ciclovias e orlas ao longo das margens do Rio Dnieper.

– A instalação de banheiros públicos, stands de informação, instalações de iluminação nos parques e nas ruas adjacentes antes do início da Eurocopa.

– Melhoria da qualidade da publicidade ao ar livre e regramento para obras de paisagismo urbano, com a determinação de regras para intervenções paisagísticas que possam alterar significativamente o centro de Kyiv.

– Amplo sistema de comunicação visual e de informações no ambiente urbano, que incluem fontes básicas e tipos de letra como partes constitutivas da identidade urbana, sinais luminosos, cores e identificadores de luz do espaço urbano, e outros tipos de intervenções, resolvendo definitivamente o problema histórico de falta de sinalização de Kyiv, que é prejudicial para o turismo e para o dia-a-dia dos moradores.

2012/2020 – Após a Eurocopa

O horizonte final do projeto está em 2020, na teoria, mas a prefeitura de Kyiv pode estendê-lo até 2025, devido ao objetivo da cidade de sediar uma Olimpíada nos próximos anos (em 2024 ou 2028).

Área do Kyiv Fortress, que será alvo de revitalização arquitetônica nos próximos anos

Os procedimentos serão:

– Estabelecimento de uma conexão entre a cidade e a zona portuária de Dnieper, garantindo a circulação ininterrupta de pedestres entre a Verkhniy Bridge superior e o Rio Dnieper.

  – implementação de um parque de infra-estrutura ao longo das colinas do Dnieper: ciclovias, plataformas de madeira para o passeio público, aintegração da arquitetura na parte inferior das colinas à arquitetura do Planalto superior (Kyiv central). Objetivo de atração de novos investimentos para o local.

– O desenvolvimento urbano deve começar com a regeneração do território de Kyiv Fortress, que compreende a maior parte do centro degradado de Kyiv e já sofrerá intervenções visando a Eurocopa.

– Com a ajuda de iniciativas locais, é altamente importante tomar medidas para a regeneração dos espaços públicos e a criação de áreas exclusivas para pedestres sobre o Beco Peyzazhna, a ladeira Andriyivsky e Kontraktova Square.

– Após intervenção nas áreas mais críticas, o foco será em áreas que já contam com razoável infraestrutura. Nessas áreas, serão instalados equipamentos para a prática desportiva, de incentivo à cultura e de atratividade turística (salas de exposições, centros artísticos, de entretenimento, instalações educacionais, parques aquáticos, centros de treinamento desportivo).

– Popularização das colinas às margens do rio Dnieper como uma marca de Kiev, um cartão-postal que atraia investimentos internacionais para a cidade.

O Projeto Vencedor – Urban Reclaiming the Shore

Em 29 de abril de 2011 foi conhecido o projeto vencedor, “Urban Reclaiming the Shore”, do escritório de arquitetura Tailleur 301, sediado em Bogotá, na Colômbia. O projeto consiste na intervenção em  413 hectares entre o rio Dnieper e o centro da cidade, e prevê uma série de intervenções a serem desenvolvidas para o próximo Campeonato Europeu de Futebol 2012, em Kyiv, e também uma visão de longo prazo para a cidade.

Amostra de intervenção com anéis de integração urbana ás margens do Dnieper

A abordagem do projeto é inovadora, explorando o vazio urbano de infra-estrutura ao longo do Rio Dnieper e da ponte sobre o rio, que liga o centro de Kyiv com a parte leste da cidade.

O projeto do Parque nas várzeas do Rio Dnieper, lembra, de certa forma, o projeto de parque das Várzeas do Tietê, em São Paulo. No entanto, em Kyiv, o aproveitamento é infinitamente maior, devido ao fato do rio ser navegável e não estar envolvido em poluição, como ocorre em São Paulo.

O limite entre a cidade e o parque será conectado por uma série de novas ligações. O objetivo é colocar Kyiv como referência na integração entre os espaços urbanos e a natureza, fornecendo espaços de lazer às margens do rio, no Parque, e espaços que atraiam investimentos de grande porte, na parte superior das colinas.

Basicamente, as duas idéias do projeto são a conexão entre a cidade e a natureza, tornando as margens do Dnipro um espaço atrativo de lazer, e a construção de “nós” e anéis de integração urbanos, dando especial atenção ao tráfego de pedestres, integrado com a expansão de transportes públicos de massa na cidade, como o Metrô.

Mapa da Intervenção Urbana nos próximos anos, às margens do Dnieper

Conclusão

Muita coisa ainda será feita, e a preocupação em tornar Kyiv uma cidade competitiva é maior do que a preocupação em preservar o patrimônio histórico da cidade. No entanto, é louvável o esforço da administração municipal e dos últimos governos ucranianos em utilizar a Eurocopa como catalisador de mudanças permanentes no espaço urbano da cidade.

Kyiv encara com vigor a “concorrência” de cidades ex-soviéticas que estão passando por rápidos processos de modernização, como Sochi, na margem do Mar Negro, que será sede da Olimpíada de Inverno de 2014, e Baku, no Azerbaijão, que pleiteia sediar a Olimpíada de 2020. Existem muitos problemas com a revitalização de áreas degradadas e com as áreas pobres das periferias da cidade, que convivem com a pobreza, o tráfico de drogas e a prostituição (tão combatida pelas moças do Femen em seus protestos).

Como toda cidade, Kyiv convive com a injustiça e com os problemas associados à desigualdade social. Mas ao menos há um projeto e há metas para a cidade se consolidar novamente como a “capital da Europa central” nos próximos anos. Como já foi, durante a maior parte de sua história.

Anúncios
Esse post foi publicado em Aleatoriedades, Esportes, Lugares Esquecidos do Mundo e marcado , . Guardar link permanente.

Dê a sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s