Glossário Comentado: fale de política sem se passar por ridículo nas redes sociais


Dada a situação política atual, faz-se necessário um GLOSSÁRIO para que as pessoas não saiam falando asneiras por aí como se fosse verdade

DITADURA: subst. fem., di-ta-du-ra; O governo, a autoridade do ditador. Poder ou autoridade absoluta. Governo em que os poderes do Estado se concentram nas mãos de um só homem.

Uma ditadura não permite manifestações contrárias. Não há eleições para o mandatário. Não existe imprensa de oposição. É estilo a Rússia, em que quem se opõe ao Putin corre o risco de ser envenenado com polônio-210.

Não há sinais disso no Brasil.

DEMOCRACIA: subst. fem; de-mo-cra-ci-a; Governo em que o poder é exercido pelo povo. Sistema governamental e político em que os dirigentes são escolhidos através de eleições populares.

É o que temos para hoje no Brasil. ELEIÇÕES POPULARES. Cada voto vale um. Não importa se você é rico, se você é pobre, se você passa o dia todo falando do seu adversário ou se todos os seus amigos tem a mesma preferência política que você. Cada voto vale um e o Brasil é um país enorme, com mais de 140 milhões de eleitores.

COMUNISMO: subst. masc., co-mu-nis-mo; Ideologia ou doutrina que, fundada por Karl Marx, utiliza o sistema de propriedade coletiva (comunismo) em conjunto com o socialismo, sendo a propriedade coletiva instituída pelo Estado que distribui os bens de acordo com as prioridades individuais, extinguindo o sistema das classes sociais.

Você tem no Brasil bancos privados que lucram R$ 9,3 BILHÕES em um semestre. Pode comprar coisas no mercado, na padaria, tudo sem restrições. E não há motivos para pensar que um governo que deixou tudo isso rolar por 12 anos iria mudar as coisas nos quatro anos seguintes.

NORDESTINO: adj..; nor-des-ti-no; Pertencente ou relativo ao Nordeste brasileiro. Habitante ou natural dessa região.

Não foi o Nordeste que decidiu a eleição. Nem esmola. O Nordeste foi a região do país que mais se desenvolveu nos últimos doze anos. Não é só o Bolsa-Família que faz diferença. As diversas oportunidades econômicas surgidas por lá fizeram muita diferença na vida das pessoas. Eles votam de acordo com o que vêem melhorar em suas vidas. E os primeiros governos que olharam de verdade para o Nordeste foram os de Lula e Dilma. Nesse sentido os nordestinos são muito pragmáticos em seu voto, dando valor a quem realmente trabalhou por eles, ignorando motivos exógenos.

PAULISTA: adj., pau-lis-ta. Natural ou habitante do Estado de São Paulo.

São Paulo foi o estado que deu mais votos pro Aécio. Em tese, é o estado com gente mais informada do país. E, justamente por isso, é o estado que mais consome material produzido pela mídia e é mais inserido nas redes sociais, percentualmente. Doze anos seguidos de discurso desfavorável ao PT (ainda que muitas vezes com razão) e coisas como “Ale Yousseff envenenado pelo PT” nas redes sociais repercutem mais em SP que em outros estados. No Rio, por exemplo, que é sede da Globo, esse tipo de discurso não teve tanta penetração (só entre os evangélicos, mas aí é outra história)

Numa análise fria, o voto nordestino é mais pragmático que o do paulista, que mesmo em uma situação adversa de falta de água continua votando no PSDB apenas por “ódio ao PT”.

MINEIRO: subst. masc.; MI-NEI-RO. Natural ou habitante do Estado de Minas Gerais.

Estado de Aécio Neves, que foi tema em TODOS os debates eleitorais do segundo turno. Onde o PSDB perdeu o governo estadual, após 12 anos no governo. E onde Aécio perdeu para Dilma NOS DOIS TURNOS, o que é muito mais sintomático acerca da atuação de Aécio enquanto governador de Minas Gerais entre 2003 e 2010 do que sua aprovação de 92% ao fim do governo.

ÓDIO: subst. masc., Ó-DIO. Sentimento de profunda inimizade; paixão que conduz ao mal que se faz ou se deseja a outrem. Ira contida; rancor violento e duradouro.

O efeito do ódio na política é sempre negativo. E ele foi usado antes, durante e depois da eleição. Eu já expliquei de forma didática por que os discursos de ódio devem ser sempre repudiados tomando as minorias como exemplo, mas mostro novamente (serve para o partido político rival também):

“NENHUM discurso de ódio deve ser tolerado. Sob justificativa nenhuma. E, para isso, é bom recorrer à história dos genocídios. Do nazismo à Ruanda, passando pela Bósnia e pela Armênia, a maioria deles, durante a história da humanidade, teve três etapas:

– A naturalização do ódio contra uma minoria ou contra um “povo rival”, sob os argumentos mais esdrúxulos
– A disseminação desse ódio por toda a população pelos mais diferentes meios, geralmente relacionados com o poder
– A “colocação em prática” desse ódio, agredindo a minoria ou o “povo rival” em questão”

-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-

Resumindo: pessoal, parem de passar recibo de que vocês são preconceituosos e não aceitam que o nosso país é uma democracia. Tá feio. De verdade.

Anúncios
Esse post foi publicado em Pitacos. Bookmark o link permanente.

3 respostas para Glossário Comentado: fale de política sem se passar por ridículo nas redes sociais

  1. Marcos disse:

    Estilo a Rússia? Que eu saiba Zyuganov é oposição desde 1992 e ele nunca foi envenenado com Polônio. Litvinov, envenenado com polônio, era um desertor do serviço secreto, e em qualquer país um desertor de um serviço secreto tende a ser perseguido. Snowden, exilado na Rússia, é perseguido pela CIA e outros serviços secretos. Ninguém se refere aos EUA, onde há dois partidos idênticos, é oposição.

Dê a sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s